Translation

(itstool) path: sect2/para
In contrast to the numerous Linux distributions, there are only four major open source BSDs. Each BSD project maintains its own source tree and its own kernel. In practice, though, there appear to be fewer divergences between the userland code of the projects than there is in Linux.
306/2830
Context English Portuguese (Brazil) State
<firstterm>Committers</firstterm> are developers with write access to the source tree. In order to become a committer, an individual must show ability in the area in which they are active. <firstterm>Committers</firstterm> são desenvolvedores com acesso de gravação no repositório principal de código fonte. Para se tornar um committer, um indivíduo deve mostrar habilidade na área em que está ativo.
It is at the individual committer's discretion whether they should obtain authority before committing changes to the source tree. In general, an experienced committer may make changes which are obviously correct without obtaining consensus. For example, a documentation project committer may correct typographical or grammatical errors without review. On the other hand, developers making far-reaching or complicated changes are expected to submit their changes for review before committing them. In extreme cases, a core team member with a function such as Principal Architect may order that changes be removed from the tree, a process known as <firstterm>backing out</firstterm>. All committers receive mail describing each individual commit, so it is not possible to commit secretly. Fica a critério do bom senso individual de cada committer a decisão se eles devem obter ou não um consenso antes de enviar alterações para o repositório de código fonte. Em geral, um committer experiente pode fazer alterações que sejam inquestionavelmente corretas sem obter consenso. Por exemplo, um committer do projeto de documentação pode corrigir erros tipográficos ou gramaticais sem revisão. Por outro lado, espera-se que os desenvolvedores que realizam mudanças complexas ou muito extensas enviem suas alterações para revisão antes de enviá-las para o repositório de código fonte. Em casos extremos, um membro do Core Team com uma função tal como a de arquiteto principal, pode ordenar que as alterações sejam removidas do repositório, num processo conhecido como <firstterm>backing out</firstterm>. Todos os committers recebem emails que descrevem cada commit individual, portanto não é possível enviar alterações para o repositório de código fonte em segredo.
The <firstterm>Core team</firstterm>. FreeBSD and NetBSD each have a core team which manages the project. The core teams developed in the course of the projects, and their role is not always well-defined. It is not necessary to be a developer in order to be a core team member, though it is normal. The rules for the core team vary from one project to the other, but in general they have more say in the direction of the project than non-core team members have. O <firstterm>Core Team</firstterm>. O FreeBSD e o NetBSD possuem uma equipe principal (Core team) que gerenciam o projeto. As equipes principais evoluíram ao longo dos projeto e a sua função nem sempre está bem definida. Não é necessário ser um desenvolvedor para ser um membro da equipe principal, embora isto seja normal. As regras para a equipe principal variam de um projeto para o outro, mas no geral elas têm mais voz ativa sobre a direção do projeto do que os demais membros tem.
This arrangement differs from Linux in a number of ways: Esse arranjo difere do Linux de várias maneiras:
No one person controls the content of the system. In practice, this difference is overrated, since the Principal Architect can require that code be backed out, and even in the Linux project several people are permitted to make changes. Ninguém controla o conteúdo do sistema. Na prática, essa diferença é superestimada, uma vez que o arquiteto principal pode exigir que o código seja removido ou substituído, e mesmo no projeto Linux, várias pessoas podem fazer alterações.
On the other hand, there <emphasis>is</emphasis> a central repository, a single place where you can find the entire operating system sources, including all older versions. Por outro lado, <emphasis>existe</emphasis> um repositório central, um lugar único no qual você pode encontrar todo o código fonte do sistema operacional, incluindo todas as versões mais antigas.
BSD projects maintain the entire <quote>Operating System</quote>, not only the kernel. This distinction is only marginally useful: neither BSD nor Linux is useful without applications. The applications used under BSD are frequently the same as the applications used under Linux. Os projetos BSDs mantêm todo o <quote>Sistema Operacional</quote>, e não apenas o kernel. Essa distinção é apenas marginalmente útil: nem o BSD e nem o Linux são úteis sem aplicativos. Os aplicativos usados no BSD são frequentemente os mesmos aplicativos usados no Linux.
As a result of the formalized maintenance of a single SVN source tree, BSD development is clear, and it is possible to access any version of the system by release number or by date. SVN also allows incremental updates to the system: for example, the FreeBSD repository is updated about 100 times a day. Most of these changes are small. Como resultado da manutenção formal de um único repositório SVN com o código fonte, o desenvolvimento do BSD é claro e é possível acessar qualquer versão do sistema por número de release ou por data. O SVN também permite atualizações incrementais no sistema: por exemplo, o repositório do FreeBSD é atualizado cerca de 100 vezes por dia. A maioria dessas mudanças é pequena.
BSD releases Releases do BSD
FreeBSD, NetBSD and OpenBSD provide the system in three different <quote>releases</quote>. As with Linux, releases are assigned a number such as 1.4.1 or 3.5. In addition, the version number has a suffix indicating its purpose: O FreeBSD, o NetBSD e o OpenBSD fornecem o sistema em três diferentes <quote>releases</quote>. Como no Linux, os releases recebem um número como 1.4.1 ou 3.5. Além disso, o número da versão tem um sufixo indicando sua finalidade:
The development version of the system is called <firstterm>CURRENT</firstterm>. FreeBSD assigns a number to CURRENT, for example FreeBSD 5.0-CURRENT. NetBSD uses a slightly different naming scheme and appends a single-letter suffix which indicates changes in the internal interfaces, for example NetBSD 1.4.3G. OpenBSD does not assign a number (<quote>OpenBSD-current</quote>). All new development on the system goes into this branch. A versão de desenvolvimento do sistema é chamada de <firstterm>CURRENT</firstterm>. O FreeBSD atribui um número a CURRENT, por exemplo, FreeBSD 5.0-CURRENT. O NetBSD usa um esquema de nomenclatura ligeiramente diferente e acrescenta um sufixo de uma única letra que indica mudanças nas interfaces internas, por exemplo, o NetBSD 1.4.3G. O OpenBSD não atribui um número (<quote>OpenBSD-current</quote>). Todo novo desenvolvimento no sistema entra neste branch.
At regular intervals, between two and four times a year, the projects bring out a <firstterm>RELEASE</firstterm> version of the system, which is available on CD-ROM and for free download from FTP sites, for example OpenBSD 2.6-RELEASE or NetBSD 1.4-RELEASE. The RELEASE version is intended for end users and is the normal version of the system. NetBSD also provides <emphasis>patch releases</emphasis> with a third digit, for example NetBSD 1.4.2. Em intervalos regulares, entre duas e quatro vezes por ano, os projetos lançam uma versão <firstterm>RELEASE</firstterm> do sistema, a qual é disponibilizada por meio de CD-ROMs e por meio de download gratuito em sites FTP, por exemplo, OpenBSD 2.6-RELEASE ou NetBSD 1.4-RELEASE. A versão RELEASE destina-se a usuários finais e é a versão normal do sistema. O NetBSD também fornece <emphasis>versões de correção</emphasis> (Patch Releases) com um terceiro dígito, por exemplo, o NetBSD 1.4.2.
As bugs are found in a RELEASE version, they are fixed, and the fixes are added to the SVN tree. In FreeBSD, the resultant version is called the <firstterm>STABLE</firstterm> version, while in NetBSD and OpenBSD it continues to be called the RELEASE version. Smaller new features can also be added to this branch after a period of test in the CURRENT branch. Security and other important bug fixes are also applied to all supported RELEASE versions. A medida que os erros são encontrados em uma versão RELEASE, eles são corrigidos e as correções são adicionadas ao repositório SVN. No FreeBSD, a versão resultante é chamada de <firstterm>STABLE</firstterm>, enquanto no NetBSD e OpenBSD continua sendo chamada de versão RELEASE. Novos recursos menores também podem ser adicionados a essa branch após um período de teste na branch CURRENT. Patches de segurança e outras correções de bugs importantes também são aplicadas a todas as versões RELEASE suportadas.
<emphasis>By contrast, Linux maintains two separate code trees: the stable version and the development version. Stable versions have an even minor version number, such as 2.0, 2.2 or 2.4. Development versions have an odd minor version number, such as 2.1, 2.3 or 2.5. In each case, the number is followed by a further number designating the exact release. In addition, each vendor adds their own userland programs and utilities, so the name of the distribution is also important. Each distribution vendor also assigns version numbers to the distribution, so a complete description might be something like <quote>TurboLinux 6.0 with kernel 2.2.14</quote></emphasis> <emphasis>Por outro lado, o Linux mantém duas árvores de código separadas: a versão estável e a versão de desenvolvimento. Versões estáveis têm um número de versão menor par, como por exemplo 2.0, 2.2 ou 2.4. Versões de desenvolvimento têm um número de versão menor ímpar, como por exemplo 2.1, 2.3 ou 2.5. Em cada caso, o número é seguido por um outro número que designa a release exata. Além disso, cada fornecedor adiciona seus próprios programas e utilitários de área de usuário, portanto, o nome da distribuição também é importante. Cada fornecedor de distribuição também atribui números de versão à distribuição, portanto, uma descrição completa seria algo como <quote>TurboLinux 6.0 com kernel 2.2.14 </quote>.</emphasis>
What versions of BSD are available? Quais versões do BSD estão disponíveis?
In contrast to the numerous Linux distributions, there are only four major open source BSDs. Each BSD project maintains its own source tree and its own kernel. In practice, though, there appear to be fewer divergences between the userland code of the projects than there is in Linux. Em contraste com as numerosas distribuições do Linux, existem apenas quatro grandes distribuições BSD de código aberto. Cada projeto BSD mantém seu próprio repositório de código fonte e o seu próprio kernel. Porém na prática, parece haver menos divergências do código entre os projetos BSD do que no Linux.
It is difficult to categorize the goals of each project: the differences are very subjective. Basically, É difícil categorizar os objetivos de cada projeto: as diferenças são muito subjetivas. Basicamente,
FreeBSD aims for high performance and ease of use by end users, and is a favourite of web content providers. It runs on a <link xlink:href="@@URL_RELPREFIX@@/platforms/">number of platforms</link> and has significantly more users than the other projects. O FreeBSD visa o alto desempenho e a facilidade de uso pelos usuários finais, e é um dos favoritos dos provedores de conteúdo da web. Ele pode ser executado em <link xlink:href="@@URL_RELPREFIX@@/platforms/">diversas plataformas</link> e tem significativamente mais usuários do que os outros projetos.
NetBSD aims for maximum portability: <quote>of course it runs NetBSD</quote>. It runs on machines from palmtops to large servers, and has even been used on NASA space missions. It is a particularly good choice for running on old non-<trademark class="registered">Intel</trademark> hardware. O NetBSD visa a máxima portabilidade: <quote>é claro que roda o NetBSD</quote>. Ele pode ser executado em diversas plataformas de hardware, de palmtops até grandes servidores, e até mesmo já foi usado em missões espaciais da NASA. É uma escolha particularmente boa para rodar em hardware antigo que não seja <trademark class="registered">Intel</trademark>.
OpenBSD aims for security and code purity: it uses a combination of the open source concept and rigorous code reviews to create a system which is demonstrably correct, making it the choice of security-conscious organizations such as banks, stock exchanges and US Government departments. Like NetBSD, it runs on a number of platforms. O OpenBSD visa a segurança e a pureza de código: ele usa uma combinação do conceito de código aberto ao de revisões rigorosas de código para criar um sistema que seja comprovadamente correto, tornando-o a escolha preferida de organizações preocupadas com segurança, tais como bancos, bolsas de valores e departamentos do governo dos EUA. Tal como o NetBSD, ele pode ser executado em várias plataformas.
DragonFlyBSD aims for high performance and scalability under everything from a single-node UP system to a massively clustered system. DragonFlyBSD has several long-range technical goals, but focus lies on providing a SMP-capable infrastructure that is easy to understand, maintain and develop for. O DragonFlyBSD tem como objetivo o alto desempenho e a escalabilidade sob todos os aspectos, desde um sistema de um único nó até um sistema altamente clusterizado. O DragonFlyBSD tem várias metas técnicas de longo prazo, mas o foco está em fornecer uma infraestrutura compatível com SMP que seja fácil de entender, manter e desenvolver.
There are also two additional BSD <trademark class="registered">UNIX</trademark> operating systems which are not open source, BSD/OS and Apple's <trademark class="registered">Mac OS</trademark> X: Também existem dois sistemas operacionais BSD <trademark class="registered">UNIX</trademark> que não são de código aberto, o BSD/OS e <trademark class="registered">Mac OS</trademark> X da Apple:
BSD/OS was the oldest of the 4.4BSD derivatives. It was not open source, though source code licenses were available at relatively low cost. It resembled FreeBSD in many ways. Two years after the acquisition of BSDi by Wind River Systems, BSD/OS failed to survive as an independent product. Support and source code may still be available from Wind River, but all new development is focused on the VxWorks embedded operating system. O BSD/OS foi o mais antigo dos sistemas derivados do 4.4BSD. Não era um sistema de código aberto, embora as licenças do código-fonte estivessem disponíveis a um custo relativamente baixo. Assemelhava-se ao FreeBSD de várias maneiras. Dois anos após a aquisição da BSDi pela Wind River Systems, o BSD/OS não conseguiu sobreviver como um produto independente. O suporte e o código-fonte ainda podem estar disponíveis por parte da Wind River, mas todo desenvolvimento novo está focado no sistema operacional embarcado VxWorks.
<link xlink:href="http://www.apple.com/macosx/server/"><trademark class="registered">Mac OS</trademark> X</link> is the latest version of the operating system for <trademark class="registered">Apple</trademark>'s <trademark class="registered">Mac</trademark> line. The BSD core of this operating system, <link xlink:href="http://developer.apple.com/darwin/">Darwin</link>, is available as a fully functional open source operating system for x86 and PPC computers. The Aqua/Quartz graphics system and many other proprietary aspects of <trademark class="registered">Mac OS</trademark> X remain closed-source, however. Several Darwin developers are also FreeBSD committers, and vice-versa. O <link xlink:href="http://www.apple.com/macosx/server/"><trademark class="registered">Mac OS</trademark> X</link> é a versão mais recente do sistema operacional para os equipamentos <trademark class="registered">Mac</trademark> da <trademark class="registered">Apple</trademark>. O núcleo BSD deste sistema operacional, <link xlink:href="http://developer.apple.com/darwin/">Darwin</link>, está disponível como um sistema operacional de código aberto totalmente funcional para computadores x86 e PPC. No entanto, o sistema gráfico Aqua/Quartz e muitos outros aspectos proprietários do <trademark class="registered">Mac OS</trademark> X continuam fechados. Vários desenvolvedores do Darwin também são committers do FreeBSD, e vice-versa.
How does the BSD license differ from the GNU Public license? Como a licença BSD difere da licença GNU Publica?
Linux is available under the <link xlink:href="http://www.fsf.org/copyleft/gpl.html">GNU General Public License</link> (GPL), which is designed to eliminate closed source software. In particular, any derivative work of a product released under the GPL must also be supplied with source code if requested. By contrast, the <link xlink:href="http://www.opensource.org/licenses/bsd-license.html">BSD license</link> is less restrictive: binary-only distributions are allowed. This is particularly attractive for embedded applications. O Linux está disponível sob a <link xlink:href="http://www.fsf.org/copyleft/gpl.html">Licença Pública Geral GNU</link> (GPL), que é projetada para eliminar o software de código fechado. Em particular, qualquer trabalho derivado de um produto lançado sob a GPL também deve ser fornecido com o código fonte, se solicitado. Por outro lado, a <link xlink:href="http://www.opensource.org/licenses/bsd-license.html">licença BSD</link> é menos restritiva: é permitida a distribuição somente dos binários. O que é particularmente atraente para aplicativos embarcados.
What else should I know? O que mais eu deveria saber?
Since fewer applications are available for BSD than Linux, the BSD developers created a Linux compatibility package, which allows Linux programs to run under BSD. The package includes both kernel modifications, in order to correctly perform Linux system calls, and Linux compatibility files such as the C library. There is no noticeable difference in execution speed between a Linux application running on a Linux machine and a Linux application running on a BSD machine of the same speed. Como menos aplicativos estão disponíveis para o BSD do que para o Linux, os desenvolvedores do BSD criaram um pacote de compatibilidade com o Linux, o qual permite que os programas Linux sejam executados sob o BSD. O pacote inclui tanto as modificações do kernel, necessárias para executar corretamente as chamadas do sistema Linux e quanto os arquivos de compatibilidade do Linux, como a biblioteca C. Não há diferença perceptível na velocidade de execução entre um aplicativo Linux em execução em uma máquina Linux nativa e um aplicativo Linux em execução em uma máquina BSD, contanto que ambas tenham o mesmo hardware.
The <quote>all from one supplier</quote> nature of BSD means that upgrades are much easier to handle than is frequently the case with Linux. BSD handles library version upgrades by providing compatibility modules for earlier library versions, so it is possible to run binaries which are several years old with no problems. A natureza do BSD de ser um sistema em que tudo é provido por <quote>um único fornecedor</quote> significa que as atualizações são muito mais fáceis de se lidar do que frequentemente ocorre no caso no Linux. O BSD lida com as atualizações das versões das bibliotecas fornecendo módulos de compatibilidade para as versões anteriores, portanto, é possível executar binários bastante antigos sem problemas.
Which should I use, BSD or Linux? Qual devo usar, BSD ou Linux?
What does this all mean in practice? Who should use BSD, who should use Linux? O que tudo isso significa na prática? Quem deve usar o BSD, quem deve usar o Linux?

Loading…

No matching activity found.

Browse all component changes

Glossary

English Portuguese (Brazil)
Open Source Project Projeto Open Source FreeBSD Doc

Source information

Source string comment
(itstool) path: sect2/para
Source string location
article.translate.xml:425
String age
a year ago
Source string age
a year ago
Translation file
articles/pt_BR/explaining-bsd.po, string 65